Siga-me

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Populando componetes de listagem (ComboBoxes, ListBoxes, DataGridViews, etc) com Arrays

Uma dúvida que tenho visto muito nos fórums de c# e outras linguagens do DotNet Framework é como popular componentes de listagens, como ComboBox, ListBox, DataGridView, com o conteúdo de Arrays criados pelo desenmvolvedor.


Fiz um pequeno vídeo demonstrando na prática como preencher esses componentes com o conteúdo de arrays.


Divirtam-se.

video

Link do vídeo

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Por que desenvolver aplicações para Web?

O desenvolvimento de sistemas tem se intensificado nos últimos anos com o crescimento tecnológico das empresas, principalmente no Brasil. As “Software Housers” têm crescido e empregado um número grande de desenvolvedores. Os pré-requisitos, dentre vários, são a escolarização (curso superior na área de informática ou especialização na área), certificações, conhecimentos específicos e experiência de 2 a 6 anos com esta ou aquela tecnologia. Os salários giram em torno de 1.200,00 (desenvolvedor Junior) até 4.000,00 (desenvolvedor Senhor).

Contudo, a tecnologia também cresce e inova. Desde a década de 90, com os servidores UNIX rodando aplicativos CGI para responder a solicitações das aplicações mais simples até hoje, a história mudou muito. Existem servidores rápidos e com grande capacidade de armazenamento, aplicativos de comunicações com sistemas de alto desempenho como as DLLs ISAP que o servidor Microsoft IIS utiliza, e por aí vai.

Dessa forma, um novo paradigma vem surgindo e ganhando a atenção das organizações de todos os segmentos: as aplicações virtuais. Ter uma aplicação na internet/intranet não é uma coisa nova. Todavia, tecnologias e frameworks têm surgido para tentar igualar ao máximo as aplicações web das aplicações para desktop. Atualmente é possível camuflar os postbacks, renderizar a página de forma assíncrona, manter uma interface de alto nível como se o usuário estivesse em uma aplicação local. O desenvolvedor pode fazer uso do AJAX, XML, XAML, Flash, etc...

A segurança na rede atualmente é uma coisa mais controlada em nível de aplicações. Temos a criptografia no meio (certificações digitais, por exemplo) e o desenvolvimento seguro em nível de transporte (contra medidas que minimizam vulnerabilidades no sistema).

Mas nada disso responde à nossa pergunta inicial, isto é, não seria somente por alguma dessas razões que um desenvolvedor “for Windows”, que utiliza a IDE do Delphi para trabalhar, por exemplo, iria migrar seus conhecimentos e seus sistemas com foco na web. O que seria então? Com mais de 12 anos trabalhando com informática, utilizando tecnologias e linguagens de programação, tais como: Windows Server 2000/2003; Linux Debian, Ubuntu; Criando e gerenciando projetos de rede, de cabeamento estruturado, de sistemas de informação; desenvolvendo sistemas em Object Pascal, C, C++, Java, PHP, e atualmente C# e Asp.Net; utilizando IDEs como Delphi, NetBeans, Dreamweaver, Visual Studio, dentre outros; pude perceber que nenhuma dessas tecnologias sozinhas é capaz de conseguir o que a web pode provê de melhor para o usuário e para os empreendimentos. Ao contrário, uma gama dessas tecnologias unidas é que pode.

É quando chegamos realmente à nossa resposta: INDEPENDÊNCIA DE PLATAFORMA!!!. Vamos destrinchar melhor essa afirmação. Imagina que uma empresa possui um ERP enorme, com todas as informações importantes e processos complexos da organização, tudo sobre a plataforma Microsoft. Devido a uma crise financeira, o investimento de 200 computadores foi feito, porém sem plataforma, pois ficou acordado com o setor de TI que utilizariam uma plataforma livre devido ao valor das licenças. Até aí tudo bem, mas e em relação ao ERP? Não existe uma versão para Linux...

Neste ponto é que entra a vantagem de se desenvolver aplicações para web. Imaginemos que este mesmo ERP fosse desenvolvido sobre o paradigma web. A Troca de plataforma é instantânea, isto é, é transparente para o usuário e sem acréscimo financeiro para a empresa... O sistema é acessado por um navegador de internet que tenha suporte ao HTML 1.0 ou superior e a parte mais árdua fica com a infra-estrutura de servidores e com a equipe de TI. Essa é uma vantagem muito significativa associada a web, pois o sistema sai das fronteiras da empresa e pode ser acessado em qualquer localização geográfica, com a devida segurança; ou ainda pode ser trafegado apenas na intranet da empresa, sem estar na grande rede, mas usufruindo de todos os recursos do TCP/IP; ou na extranet da empresa favorecendo ainda a troca de informações com outros sistemas da mesma ou de outras empresas parceiras com o uso do XML.

Atualmente é mais viável e rentável para ambos os lados desenvolver sistemas para web. Além de tudo, é ainda o futuro das atividades de computação para as organizações atuais. Mantendo-se a compatibilidade entre os navegadores, tudo pode ser migrado para web, desde simples sistemas de cadastro até grandes ERPs. Muitas áreas de conhecimento têm alinhado seu cerne para o foco neste paradigma e muitos profissionais já vislumbram um horizonte repleto de conquistas para esse tipo de mercado.

Não perca tempo, corra o quanto antes, pois na informática, tudo que é novo já é passado!